Buscar
  • Gabriel Velloso

Manufacturing Execution System - MES

Manufacturing Execution Systems (MES), é o termo utilizado para nomear um conjunto de sistemas que auxiliam na gestão das operações de produção, conectando o planejamento e a gestão diretamente ao dia a dia da manufatura.

O sistema MES vem para suprir a falta de integração entre sistemas de controle usados nas linha industriais e sistemas ERP. Como existe uma abrangência enorme de soluções nesta "lacuna", surgiu em 1992 a MESA, uma associação formada por integradores e desenvolvedores com o intuito de desenvolver no mercado a cultura e o conhecimento necessário para a aplicação destes sistemas.

Em 1992 a MESA, junto a sua fundação, apresentou ao mundo um conceito de 11 funcionalidades que deveriam ser propostas por um sistema MES. Este conceito ficou conhecido pelo modelo MESA.


O Modelo MESA


Ao longo do tempo, com a maturidade dos sistemas este modelo passou por modificações chegando na sua terceira versão (a mais atual) em 2006. Neste modelo a MESA divide as características ideais para uma implementação MES em quatro hierarquias:

  1. Nível de Produção (Manufacturing), representando toda a parte de chão de fábrica, incluindo a automação.

  2. Nível de Operação de Manufatura (Manufacturing Operations), neste nível estão as características raíz de um MES, que já eram citadas nas primeiras revisões da MESA.

  3. Nível de Business Operations, onde se foca nos sistemas de administração dos negócios - estamos falando por exemplo de Supply Chain, ERP, CRM.

  4. Nível de Iniciativas Estratégicas, ou seja, estratégia de negócios.

A ideia central dessa hierarquia é deixar claro que sistemas MES bem implementado deverá impactar todo o dia-a-dia do negócio em múltiplas áreas e as expectativas devem estar alinhadas entre todos os stakeholders e com a estratégia da empresa.



MOM (Manufacturing Operations Management)

O nível de Operações da Manufatura ,atualmente, contempla funcionalidades que "extrapolam" o que softwares categorizados como MES atendem pelo mercado. Uma grande parte dos recursos citados nesta camada serão atendidos por outros tipo de softwares, por exemplo:

Warehouse Management System - WMS, para gestão de armazéns.

Laboratory Information Management Systems - LIMS, para gestão de laboratórios e dados de qualidade.

Enterprise Asset Management - EAM, para gestão de ativos.

Desta forma a camada 2 no modelo MESA passou a receber um nome mais abrangente "Gestão das Operações de Manufatura", em inglês: Manufacturing Operations Management (MOM).


Funcionalidades de um MOM:


As funcionalidades "core" citadas pela MESA seriam:

  1. Rastreabilidade e Genealogia da Produção: Rastrear todo o histórico de um produto: pessoas, materiais e condições envolvidos para aquela determinada manufatura. Geralmente é entregue por módulos de Rastreabilidade nos próprios softwares MES.

  2. Alocação e Estado dos Recursos Gerenciamento dos recursos e suas condições para a produção. Os recursos devem estar prontos, em condições de uso no local e momento certo. Considerando os equipamentos necessários para produção temos: softwares para gestão de ativos (EAMs) e de manutenção (CMMS). Já focando nas matérias primas necessárias para a produção: softwares para gestão de materiais e armazéns.

  3. Análise de Desempenho Métricas atuais e históricas para a apreciação do desempenho da manufatura, a métrica mais conhecida com certeza é o OEE (Overall Equipment Effectiveness - clique aqui para saber mais) e existe sempre um módulo de MES exclusivo para o cálculo dela.

  4. Gerenciamento do Processo Acompanhamento do processo em tempo real para assessorar a operação em correções necessárias. Com certeza um dos maiores valores agregados de uma sistema MES são esses recursos, que na maioria dos casos, requerem customização por parte do Integrador.

  5. Aquisição de Dados Coleta de dados relacionais (digitalização) e temporais (usando um PIMS) da produção.

  6. Gerenciamento de Qualidade Garantir a qualidade da produção em tempo real e até mesmo intervir no processo produtivo para garanti-la.

  7. Gerenciamento da Mão de Obra Informações sobre os colaboradores e para os colaboradores afim de otimizar e aprimorar a mão de obra.

  8. Distribuição de Unidades de Produção Controla o fluxo de trabalho em tempo real das diversas unidades de produção (Lote, OP, tarefa, batelada, corrida). Garantindo uma produção síncrona e eficiente.

  9. Foco em Logística Controle do Armazém, distribuição de matérias-primas (infeed) assertivas e pontuais. Minimização do estoque, e controle do uso de materiais.

  10. Controle PLCs, DCS e IoTs para transformação digital da planta, tomadas de decisões mais rápidas e precisas.


10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo